sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Catarina de Bragança - A coragem de uma infanta portuguesa que se tornou rainha de Inglaterra




Bem tenho um livro na minha mesinha de cabeceira à espera que eu acabe de o ler há mais de um mês. Estou quase no final do livro, e a história é lindíssima, para além de ser um romance histórico. O que acontece é que eu já sei como vai acabar, e como fico sempre muito comovida no final, ainda nem tive coragem de pegar nele!



Isabel Stilwell, conta-nos então a biografia de Catarina de Bragança, a filha mais nova do Duque de Bragança, que se tornou rei de Portugal após o domínio Filipino.


A escrita é muito acessível e detalhada, com algumas personagens fictícias e acontecimentos romanceados como é de se esperar de um livro do género. No entanto no fim do livro encontra-se um “Dramatis Personae” que caracteriza cada personagem, dizendo se são fictícias ou não.


Tudo começa com o nascimento da protagonista da história, no tranquilo paço de Vila Viçosa. Catarina de Bragança e os seus dois irmãos mais velhos (Teodósio e Joana), saboreiam de uma vida abastada e despreocupada, entre brincadeiras e ensinamentos do seu tão querido Padre António Vieira.


Tudo se altera então, com a subida ao trono de seu pai D. JoãoIV, e com a partida para o Paço da Ribeira em Lisboa. A partir daqui a história entra num reboliço de acontecimentos como o nascimento de mais 2 filhos, o mais velho dos quais se encara aos 2 anos com uma deficiência motora e psicológica. As tragédias dão início com a morte de Teodósio e meses depois de Joana, ambos de tuberculose, e com a morte do rei de Portugal D. João IV que deixa Luísa de Gusmão no regimento, com o negro futuro que se avizinha. Catarina, é então proposta a Carlos II de Inglaterra, com um dote que Portugal não consegue pagar, deixando os cofres vazios, em troca de uma aliança contra Espanha que nunca desistira de reconquistar os territórios lusos.


Catarina, a infanta de Portugal, torna-se então na única rainha portuguesa que Inglaterra teve, também esta com um destino pouco feliz. Charles II famoso pelas suas artes de seduzir qualquer dama da corte, não evita os seus casos extraconjugais, dos quais originam vários filhos bastardos. E Catarina permanece ao longo dos anos com o ventre liso, o que a ameaçou várias vezes a um divórcio. Rejeitada pelo rei que amava desde criança, e tendo de admitir as suas amantes dentro do seu próprio palácio, vendo-as gerar filhos que ela tanto desejava, Catarina era amada pelo povo, famosa pela sua bondade e fidelidade. Este é um romance envolvente e comovedor, que nos retrata assim, a personalidade de uma grande portuguesa.

1 comentários:

Rvth on 23 de outubro de 2009 às 11:55 disse...

Adorei o livro... já estou apaixonada. esta mulher foi assim algo de fenomenal!!

Tambem li com muita atenção ao post abaixo, sobre o sudário... muito interessante!

Gostei! Vou-te recomendar que faças uma conta no google analytics, assim controlas as tuas visitas ao blog( vem cá parar muita gente apesar de pensarmos que ninguem nos lê)

O teu blog não me apareçe no painel... quando fazes actualizações... não sei porquê!

Desculpa se tenho andado mais distante...
tem acontecido tanta coisa...
Mas fazes parte do meu penamento, dia-a-dia. és aquile tipo de coisas a que nos agarramos quando não vemos a luz...

Não te esqueças que há quem te ame.
Beijinho,
Incondicional!

Enviar um comentário

 

Cute Nails Copyright © 2009 Cosmetic Girl Designed by Ipietoon | In Collaboration with FIFA
Girl Illustration Copyrighted to Dapino Colada